Notícia

Canais na internet ganharam dinheiro com fake news sobre Covid, informa Google à CPI

A CPI da Covid recebeu do Google uma lista com dados sigilosos compostos por canais do Youtube que lucraram com a disseminação de
Canais na internet ganharam dinheiro com fake news sobre Covid, informa Google à CPI
Reprodução

A CPI da Covid recebeu do Google uma lista com dados sigilosos compostos por canais do Youtube que lucraram com a disseminação de notícias falsas sobre a pandemia. Relação com 385 vídeos removidos pelo YouTube ou deletados pelos próprios usuários - entre eles apoiadores do presidente Jair Bolsonaro - foram identificados como propagadores de desinformação sobre as formas de tratamento para a Covid-19.  O bloqueiro bolsonarista e ex-candidato a prefeito de Goiânia, Gustavo Gayer (DC) ganhou mais de R$ 40 mil para disseminar fake news sobre a doença, segundo a empresa de tecnologia. Ele é o segundo influencer que mais ganhou dinheiro com esse tipo de publicação inverídica.  A listagem foi acompanhada de quanto cada publicação rendeu aos donos dos canais até saírem do ar.

O primeiro do ranking de quem mais lucrou com fake news é o jornalista Alexandre Garcia. Ele teve 126 publicações tiradas do ar por ele próprio ou pela plataforma. O conjunto rendeu a ele R$ 70 mil em remuneração pela audiência e publicidade. O goiano Gustavo Gayer, segundo colocado, recebeu R$ 40.709.49. A lista segue com os canais Notícias Política BR (R$ 20,7 mil) e Brasil Notícias (R$ 17,7 mil), que completam as primeiras colocações. Ao todo, os usuários ganharam US$ 45 mil, o equivalente a R$ 230 mil.

O Mais Goiás tenta contato com Gustavo Gayer, mas as ligações não estão sendo completadas. A redação enviou mensagens e aguarda retorno.

Desde o início da pandemia, responsáveis por canais que tiveram conteúdo removido pela plataforma refutam terem publicado desinformação de forma deliberada. Em alguns casos, afirmam ser vitima de censura pelas empresas de tecnologia. Veja a lista completa:

Ao todo, 34 canais foram identificados como disseminadores de fake news no Brasil. Noventa, das 385 publicações consideradas não geraram renda aos administradores. O Google afirmou à CPI que os vídeos se estão fora do ar, alguns deles por desrespeitarem políticas do YouTube.

Fonte(s): O Globo

Comentários

Últimas notícias

24 Jul
Aconteceu
Caiado vistoria duplicação da GO-070, na cidade de Goiás, e assegura inauguração da obra,

Governador cumpre agenda de compromissos em comemoração aos 294 anos da antiga capital goiana e destaca série de entregas para população. Al

24 Jul
Aconteceu
Transferência da capital para a cidade de Goiás é cancelada pelo segundo ano consecutivo p

Na segunda-feira (26/07), será feriado de fundação do município e não haverá expediente nas repartições ou serviços do Estado, exc

23 Jul
Aconteceu
Na cidade de Goiás, Caiado faz vistorias e participa de evento da Educação sobre volta às

Agenda na tarde desta sexta-feira (23/07) começa com vistoria à duplicação da GO-070, às 15h30, e à construção da Policlínica

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar o acesso, você concorda com nossa Política de Privacidade. Para mais informações clique aqui.